Mais King

domingo, 19 de abril de 2009

E apesar de ter falado mal dele no post de ontem, vou ter que aturá-lo por mais algum tempo, pois ainda falta um bom bocado para eu terminar Depois da Meia-Noite. A 3ª história, que estou iniciando, chama-se O Policial da Biblioteca, e até o momento (poucas páginas se passaram) está bem legal, com um clima mais ameno do que as duas anteriores. Mas o próprio King diz em seu prefácio que haverá um momento em que a história dará uma forte guinada. Só espero que não seja o retorno triunfal das vozes.

Aliás, que prefácios deliciosos escreve o King. Todas as quatro histórias deste livro tem o que ele chama de "nota introdutória" e antes da primeira ser iniciada, há uma longa e ótima conversa entre King e o Leitor. Vou transcrever dois parágrafos abaixo (a tradução é de Luísa Ibañes):

Muitíssimo importante é que os leitores gostaram de Quatro Estações. Não me lembro de um só correspondente daquela época que me censurasse por haver escrito algo que não continha horror. Em verdade, a maioria dos leitores queria contar-me que uma das histórias despertara suas emoções de algum modo, que ela os fizera pensar, que os fizera sentir - e essas cartas constituem a legítima retribuição para aqueles dias (e são muitos) em que as palavras surgem com dificuldade e a inspiração parece mínima, inclusive inexistente. Que Deus abençoe e conserve o Fiel Leitor; a boca pode falar, porém um conto não existe, a menos que haja um ouvido solidário para ouví-la.

(...)

Também continuo apreciando uma boa história. Adoro ouvir uma e adoro contar uma. Você pode não saber (ou talvez não se importe em saber) que me pagaram um bom dinheiro para publicar este livro e mais dois que o seguem, porém, se souber ou importar-se em saber, deveria também ficar sabendo que não recebi nenhum centavo para escrever as histórias do livro. Como tudo o mais que acontece por si mesmo, o ato de escrever se situa além da moeda. É uma grande coisa ter dinheiro, mas quando provém do ato de criar o melhor é não pensar demais nesse dinheiro. Ele atravanca todo o processo.

Comments

No response to “Mais King”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)