Atualizando

terça-feira, 30 de setembro de 2008

A greve dos bancários acabou - ou melhor, foi "suspensa" até 7 ou 8 de outubro (pelo menos aqui em Campos, pois algumas grandes cidades continuam com o movimento). Sendo assim, prefiro pensar que hoje foi um feriado, porque greve de 1 dia parece-me uma coisa muito patética.

Greve, gigas, Bunker e Litell

Estou em greve. E não falo metaforicamente - os bancários estamos em greve. Sendo assim, fiquei o dia todo em casa, arrumando os computadores, abrindo espaço neles, gravando um monte de coisas em DVDs para economizar gigabytes, apagando outros tantos gigas de porcarias.

A autobiografia do Edward Bunker foi maravilhosa, uns pequenos probleminhas de cronologia aqui e ali, mas a história do cara realmente deveria ser conhecida por todo mundo. Todos deveriam saber que a perseverança pode fazer boas coisas (não no sentido "O Segredo" da coisa, mas aliada a muito trabalho duro).

Estou lendo agora um livrinho de meras 900 páginas: As Benevolentes, de Jonathan Littell. Uma espécie de autobiografia de um carrasco da Alemanha nazista, escrita nos dias atuais.

GP de Cingapura - Ao Vivo VIII

domingo, 28 de setembro de 2008

Vitória de Fernando Alonso, a primeira no ano deste grande piloto que carrega esse carro mediano da Renault nas costas. Rosberg foi o segundo e Hamilton levou 6 pontos, com o terceiro lugar. Raikkonen conseguiu bater na penúltima volta e está há 4 corridas sem pontuar (que fase!).

Massa foi apenas o 13º e viu Lewis abrir 7 pontos de vantagem, faltando 3 corridas para o fim da temporada. Vai ter que levar no braço e contar com uma ajudinha da sorte se quiser o título (porque ninguém merece depender da ajuda do Kimi desta temporada), uma vez que Hamilton só precisa de 3 segundos lugares para ser campeão.

GP de Cingapura - Ao Vivo VII

Galvão Bueno: "ele (Raikkonen) foi literalmente pulverizado", ao falar sobre a vantagem que Massa abriu prá ele. Puxa, não imaginava que a tecnologia tivesse avançado ao ponto de utilizarem uma arma capaz de transformar uma pessoa em pó.

Dá-lhe, Galvão!

GP de Cingapura - Ao Vivo VI

Faltando 10 voltas para o fim, temos safety-car novamente. Hamilton, que vinha em 3º, poderá dar o pulo do gato em Alonso, que lidera a prova, e, assim, botar uma mãozinha no troféu do campeonato.

Porcaria de luz verde que ferrou o Massa!

GP de Cingapura - Ao Vivo V

Além de tudo, Massa ainda teve um drive-through, ou seja, não vai chegar nem aos pontos. A questão, agora, é: o que o Hamilton vai conseguir? No momento ele é o 4º, o que daria a ele 5 pontos, abrindo 6 de vantagem na classificação. Faltando 3 corridas, é uma boa vantagem, mas ainda daria prá tirar (dependendo, aí sim, de uma boa ajuda do Raikkonen).

GP de Cingapura - Ao Vivo IV

Jogaram a corrida do Massa no lixo: enquanto fazia seu pit-stop, deram luz verde para que ele saísse mas ainda não haviam retirado a mangueira do combustível. Ele saiu levando a mangueira e teve que encostar num canto e esperar vários segundos até que alguém viesse, puxasse, puxasse, desencaixasse, puxasse de novo e conseguisse retirar o corpo estranho.

Agora ele terá que remar muito para conseguir algo.

GP de Cingapura - Ao Vivo III

Nelsinho Piquet choca-se com um muro, atravessa a pista e choca-se com outro. Safety car na pista, o que é péssimo para o Massa, pois após abrir 4 segundos e meio para o Hamilton, eles estarão juntinhos de novo.

A princípio pareceu que a batida tinha sido mais forte, mas está tudo bem com o piloto brasileiro.

Enquanto isso, Rubinho teve algum problema com seu carro e parou ao sair do pit-stop após seu reabastecimento.

GP de Cingapura - Ao Vivo II

Massa mantém a ponta, abrindo uma vantagem (no momento 3 segundos) que dará conforto para voltar em primeiro após o pit-stop.

No mais, por ser uma pista de rua, estreita e cheia de muros, as ultrapassagens estão escassas, apesar de serem possíveis (como provou o Rosberg, ao passar pelo Trulli em uma manobra corajosa).

GP de Cingapura - Ao Vivo

Bem amigos de o roto falando do esfarrapado. Falamos com imagens ao vivo de Cingapura onde vamos acompanhar em todas as suas emoções a primeira corrida noturna da história da Fórmula-1.

Impressionante a iluminação da pista. No treino de ontem deu prá fazer um comparativo entre as luzes do circuito e as luzes de uma rua normal: há um viaduto que passa por cima de um trecho da pista; a câmera do dirigível (ou seria um helicóptero?) mostrou como esse viaduto parece que está sem iluminação nenhuma comparado à pista abaixo dele.

Que olho!

sábado, 27 de setembro de 2008

Às vezes uma imagem aparentemente simples chama a atenção por causa do talento do fotógrafo em perceber algo insólito. É o caso da foto abaixo, que está na primeira página do Globo de hoje:

Muito difícil e muito legal

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Compartilho do entusiasmo desse cara. Estou jogando Megaman 9 prá caramba e o troço é difícil prá dedéu. Mas mesmo assim é delicioso.

Abandonei

A situação atingiu um nível insustentável, de forma que tive que tomar uma decisão drástica: não sou mais aluno do curso de Licenciatura em Matemática do CEDERJ.

Esse modelo de estudo à distância tem muitas vantagens, mas a ausência de interação com um professor que pudesse me ajudar em minhas muitas dúvidas acabou fazendo com que eu desistisse, pois não estava conseguindo entender nada dos conteúdos específicos, e as apostilas não eram suficientes para as explicações que eu precisava.

Deverei estar de volta ao CEDERJ no próximo semestre, dessa vez cursando Tecnologia em Sistemas de Computação. Será que esse vai andar?

Agarrado

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Depois de ler o lixo do Paulo Coelho, eis que vem um alívio: Educação de um Bandido é um livro que segura o leitor, agarra o leitor, crava as unhas no leitor e depois diz "não me largue". Uma pena que meus horários apertados não permitem que eu dê a ele a atenção contínua devida, mas cada página que leio é melhor que a anterior.

Como é bom ler algo que me provoque tais sensações.

Perto da Segunda

domingo, 21 de setembro de 2008

Ando tão desiludido com o Vasco que nem tenho acompanhado os jogos, apenas informando-me sobre os resultados. Só que dessa vez resolvi dar uma chance ao escrete cruzmaltino e acompanhei quase todo o jogo contra o Palmeiras. Bem, ser derrotado pelos Porcos em São Paulo não é nenhum resultado surpreendente, mas o fato é que a soma de todos os vexames desta temporada nos deixam perigosamente perto da Segundona de 2009, e isso me desanima mais ainda. Justo agora quando nos livramos do câncer chamado Eurico Miranda estamos protagonizando esse papelão.

Tomara que o retorno do Renato Gaúcho nos conduza a dias um pouquinho melhores. Tomara.

Gerações

Estamos recebendo a visita de minha amada mãe, que se deslocou de São João de Meriti até aqui, a fim de lamber seus netos que morrem de saudades dela (assim como eu). Vai aí uma foto desse encontro de gerações:

Gerações

O leitor está só

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Li o novo livro do Paulo como uma obrigação profissional (só que a tal profissão só existe em minha imaginação) e devo dizer que foi uma tortura. Tortura das bravas. Tortura de Guantánamo. Tortura do DOPS.

O livro é pavorosamente mal escrito. Todos os diálogos são artificiais, com sermões sobre os sonhos, o passado, o presente, o futuro, a família, a lealdade, a vida, o universo e tudo mais. Ninguém abre a boca para falar algo que não esteja impregnado de "sábias lições de vida".

Não seria mais fácil simplesmente escrever um livro assumidamente de auto-ajuda, composto apenas de parábolas e lições, sem ter que apelar para personagens ridículos e mal-desenvolvidos (na reta final, alguns simplesmente desaparecem sem explicações), dramas ridículos e assassinatos ainda mais ridículos?

Será que os tradutores franceses, americanos e de outros idiomas vão conseguir o milagre alcançado em todos os outros livros do escritor: tranformar essa redação do primário em um livro digno?

Vettel, Alonso e eu

domingo, 14 de setembro de 2008

Antes do Vettel vencer a corrida de hoje, o piloto mais jovem a conseguir fazê-lo havia sido o Fernando Alonso. No dia em que ele conseguiu a proeza (24 de agosto de 2003) escrevi um post comentando sobre a proximidade de nossa idade e comparando - isso mesmo! - as nossa realizações até aquele ponto. Mudou algo de lá prá cá?

GP da Itália - Ao Vivo VII

Aconteceu: Vettel venceu o GP da Itália e se tornou o mais jovem piloto a vencer uma corrida de Fórmula-1. E foi uma vitória tranqüila sem nada que a ameaçasse. Um verdadeiro passeio (lembrou as vitórias tranqüilas do Damon Hill na Williams, no ano em que foi campeão).

Massa resistiu a um bravo Hamilton e foi o sexto. O inglês chegou logo atrás (após umas 50 ultrapassagens) e agora tem apenas 1 ponto de vantagem na classificação do mundial.

Raikkonen, o discreto, chegou em nono e agora está há 7 pontos de distância de Kubica, que foi o terceiro na corrida e ocupa a mesma posição na classificação.

GP da Itália - Ao Vivo VI

Convenhamos que, para uma corrida de chuva, essa está meio desanimada: onde estão as rodadas, as escorregadas, as batidas, as lambanças que sempre caracterizam esse tipo de prova?

GP da Itália - Ao Vivo V

Não custa lembrar: Vettel, da Toro Rosso (a antiga Minardi), continua liderando a corrida. Sem dúvida uma vitória dele seria a maior zebra de todos os tempos (creio que maior até que a vitória de Olivier Panis em Mônaco - qual foi o ano mesmo? -, porque naquela ocasião todos os principais pilotos ficaram de fora por diferentes acidentes).

GP da Itália - Ao Vivo IV

Com a ameaça fortíssima de Hamilton (que montou uma estratégia-surpresa de 1 parada nos boxes), Massa antecipou seu segundo pit-stop e botou pneus intermediários. Agora, é claro, a torcida é contra a chuva. Foi uma aposta, vamos ver se dá certo.

GP da Itália - Ao Vivo III

Hamilton ultrapassou o Raikkonen há algumas voltas atrás e foi abrindo caminho, com várias outras ultrapassagens. Enquanto isso, o Raikkonen continua onde o inglês o deixou, sem ameaçar ninguém. Mesmo que Reginaldo Leme esteja certo e o carro da McLaren esteja bem melhor que o da Ferrari, o finlandês continua fazendo sua temporada discreta - aparentemente seu bom desempenho na corrida passada, na Bélgica, foi apenas um fogo de palha.

GP da Itália - Ao Vivo II

Massa mostrou que tem cojones e fez uma bela ultrapassagem em Nico Rosberg, assumindo, assim, a 4ª posição. É importantíssimo que ele proceda assim porque o Hamilton vem abrindo caminho no pelotão de trás (no momento é o 10º).

GP da Itália - Ao Vivo

Largada e duas voltas com safety car. Agora que ele entrou nada se enxerga. Bom para quem está na frente, Sebastian Vettel, que é o único que enxerga tudo.

Massa em 5º, o que daria a ele a liderança do campeonato, já que Hamilton está muito atrás.

Momento corujão

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Meus filhos, cada vez mais bonitos:

Brincalhões por você.

Blogged with the Flock Browser

Ao vivo nos sonhos

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Caros leitores, peço desculpas pela ausência da cobertura ao vivo do jogo do Brasil de ontem. Sei que todos sentiram falta de nossa tão tradicional seção, mas o fato é que não agüentei: capotei no sofá aos 10 minutos do primeiro tempo. Talvez seja culpa do Galvão Bueno, já que a ESPN não pode transmitir os jogos em território nacional.

Pelo resultado deu prá sentir que não perdi nada.

Fora, Dunga!

A Ponte na HBO

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Quem ainda não teve a oportunidade de assistir ao forte documentário A Ponte (sobre o qual falei aqui e aqui) poderá apagar essa lacuna hoje às 19:20 na HBO (se não conseguir ver hoje, clique no link para ver o horário das reprises).

"Seeking guidance from above"

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

O vídeo abaixo não é bem um vídeo, apenas a capa estática do CD que contém esta música. Mas, amigos, que música! Neil Young parece tê-la tirado do fundo de sua alma. Ela tem de tudo, fé em algo superior, crítica aos comandantes do mundo em que vivemos, 11 de setembro, lembranças do passado. É muito foda!



NO WONDER

See the bluebird fly easy as a dream
Dipping and bobbing in the sun
Could she be the one I saw so long ago
Could she be the one to take me home

This pasture is green
I'm walking in the sun
It's turning brown
I'm standing in the rain
My overcoat is worn
The pockets are all torn
I'm moving away from the pain

Tick-tock
The clock on the wall
No wonder we're losing time
Ring, ring
The old church bell
The bride and her love
Seeking guidance from above

Amber waves of grain bow in the prairie wind
I'm hearing Willie singing on the radio again
That song from 9/11 keeps ringing in my head
I'll always remember something Chris Rock said

Don't send no more candles
No matter what you do
Then Willie stopped singing
And the prairie wind blew
The green kept rolling on
For miles and miles
Fields of fuel rolling on for miles

Tick-tock
The clock on the wall
No wonder we're losing time
Toll, toll
The fallen soldier bell
The old church on the hill
Still standing when so many fell

Back when I was young, the birds blocked out the sun
Before the great migration south
We only shot a few
They last the winter through
Mother cooked them good and served them up

Somewhere a senator sits in a leather chair
Behind a big wooden desk
The caribou we killed mean nothing to him
He took his money just like all the rest

Tick-tock
The clock on the wall
No wonder we're losing time
Ring, ring
Ring the wedding bells
The bride takes the ring
And the happy people sing

Momento artístico

Algumas fotos da flora do Horto Municipal:

Bela flor II




Flor e pequeno inseto


Gotas na folha

Chile x Brasil - Ao Vivo VI

domingo, 7 de setembro de 2008

Acabou. 3 a 0 contra o Chile. Uma mostra de que é possível, sim, jogar bem e vencer fora de casa. Fica a pergunta: precisa o cargo do técnico estar em perigo para o Brasil jogar? E quando não houver essa motivação, voltaremos àquele futebol modorrento de quem está mais preocupado em não perder do que em vencer?

Agora vamos à vitória contra a Bolívia.

Chile x Brasil - Ao Vivo V

Mais um gol brasileiro: Luís Fabiano, após recuperar uma bola perdida, mostrou para Afonso Alves e Vágner Love o que é um centroavante: tem que estar no lugar certo, na hora certa, mas quando a bola não vem pro lugar certo, tem que ir buscá-la e metê-la prá dentro.

Chile x Brasil - Ao Vivo IV

Como eu ia dizendo, o que é Valdívia? Consegue ser banco na seleção do Chile, entra no final do primeiro tempo e é expulso aos 15 do segundo tempo. Esse dá gosto de dizer "nunca me enganou".

Chile x Brasil - Ao Vivo III

Lá vem drama: Kléber é expulso e o Brasil vai ter que se segurar com um a menos.

Creio que a boa vantagem no placar fará com que o Dunga mande todo mundo se plantar na defesa, e bola pro mato que o jogo é de campeonato.

Chile x Brasil - Ao Vivo II

Um pouco antes de chegar o intervalo, Robinho aumentou a contagem. Nas reportagens pré-jogo os jogadores diziam que iriam jogar pelo Dunga; se eles gostam tanto assim do técnico, por que não se apresentaram bem nos outros jogos também? Se assim fosse, ninguém estaria pedindo a cabeça dele.

Chile x Brasil - Ao Vivo

Tá certo que dessa vez não teremos que correr desesperadamente atrás do resultado, já que saímos na frente com o gol de Luís Fabiano. Mas não dá prá perder pênalti, não é, Ronaldinho?

Enquanto isso, do lado adversário vejo que o Valdívia está sentadinho no banco de reservas. Mas os palmeirenses não diziam que ele é o maior craque do futebol mundial? Não conseguiu uma vaguinha em nenhum time europeu nem no selecionado chileno.

Jogo de dois dias

Andy Murray jogou muito e, apesar de algumas bobeadas no 3º set, conseguiu vencer Rafael Nadal em um jogo que demorou 2 dias (a chuva interrompeu-o ontem). Trata-se de um tenista de primeira linha, que às vezes tem problemas de concentração, mas que é capaz de golpes muito interessantes.

Nesta segunda-feira (!!!) teremos, então, a final do US Open, com Roger Federer - o melhor, mas enfrentando uma fase não tão gloriosa - contra esse surpreendente escocês, que tem tudo para ser o grande destaque dos próximos anos (e - por que não? - do jogo de amanhã).

Artificial

Uma notinha na Máquina do Esporte mostra como são construídos os ícones do esporte de hoje em dia. Ela fala sobre Rafael Nadal e seus patrocinadores:

A idéia das empresas é mostrar que o jovem tenista, de 22 anos, vive uma fase mais madura. O primeiro passo foi dado após o Aberto da Austrália, quando - a pedido dos parceiros comerciais - Nadal abandonou as calças curtas e justas durante as competições, passando à tradicional bermuda usada pelos jogadores ou uma peça mais larga.

Em 2009, o campeão olímpico deixará também as camisetas de cores berrantes e sem mangas, além dos longos cabelos, adotando uma postura semelhante à do ex-número 1 Roger Federer. O suíço, que no início da carreira era adepto do visual despojado, foi transformado em símbolo de jogador clássico.

"Estamos trabalhando essas questões desde o início do ano. Queremos um modelo mais maduro", disse Kilee Hughes, porta-voz da fabricante americana, destacando que a mesma estratégia foi utilizada com André Agassi no fim da década de 1990.

Além da renovação de vestuário, Nadal foi aconselhado a emagrecer e, segundo a imprensa espanhola, tem demostrados gestos mais "finos" que os observados no início de sua carreira.

7 de setembro - e daí?

Estamos tão jogados às baratas que até o dia da independência está passando despercebido. Aliás, ele só não passava despercebido nos outros anos porque caía num dia de semana, gerando um feriado.

Então, prá esculhambar de vez com a independência, vai aí o logotipo que o Google fez prá homenagear a data:

Hamburgo - 2008/2009

Em termos de camisa, o Hamburgo tem uma peculiaridade: seu uniforme número 1 não usa a cor predominante do seu escudo. Aliás, depois vou procurar saber o quer dizer o estranho distintivo do clube, com seu formato todo reto, sem curvas.

Apesar de não usar o azul, essa camisa do Hamburgo, fabricada pela Adidas, é uma das mais belas desta temporada. As finas listras vermelhas deixam a camisa, que tradicionalmente é toda branca, um primor de boa aparência.



Já a camisa nº 2 do clube faz um belíssimo uso das cores do distintivo do clube, com uma bela repartição entre azul e preto. Achei que não fosse possível fazer uma camisa tão bonita quanto a nº 1, mas a Adidas conseguiu. A composição ficou belíssima, e a cor escolhida para os logotipos do patrocinador e da própria Adidas (um cinza claro) não polui a camisa como um branco tradicional poluiria. Se eu tivesse grana, compraria as duas. Se eu tivesse um pouco menos de grana tiraria no cara-ou-coroa qual das duas compraria. Como eu não tenho grana nenhuma, vou ficar só babando.

Escreve deliciosamente

Aliás, tenho que recomendar um endereço a todos que gostam de carros e automobilismo (não apenas a fórmula 1): o blog do Flávio Gomes, que durante anos foi correspondente do Lance! onde quer que estivesse acontecendo um GP da Fórmula 1 (e, de vez em quando, alguma coisa da Indy), e hoje em dia dá expediente na ESPN Brasil e na rádio Eldorado-ESPN, falando, e muito bem, não apenas de automobilismo, mas de futebol também (sempre sofrendo com sua Portuguesa).

GP da Bélgica - Reviravolta

Hamilton foi punido em 45 segundos por uma suposta manobra antidesportiva ao ultrapassar Raikkonen. Ele cortou a chicane, ultrapassou Kimi ilegalmente e logo devolveu a posição; o problema é que depois de devolver a posição já foi acelerando com tudo e ultrapassando de novo. Na transmissão, Cléber Machado falou que ele "devolveu meia posição", mas não vi dessa forma. Concordo inteiramente com o que disse o Flávio Gomes:

Na tentativa de ultrapassagem, Raikkonen foi duro e não tirou o pé, no que fez muito bem. Hamilton não teve alternativa e, para não bater, cortou a chicane e passou o finlandês. Ato 1 claramente descrito e resolvido.

A partir daí, por ter ganho a posição cortando caminho, Hamilton teria de devolver o lugar. Fez isso. O regulamento não diz se o piloto tem de devolver a posição pedindo desculpas, ajoelhando no milho, deixando o adversário abrir dez carros de diferença, ou implorando o perdão diante do altar. Diz apenas para devolver a posição. Hamilton devolveu. Ato 2 concluído.

Aí começa o ato 3. Era uma reta, Raikkonen estava acelerando, e Hamilton, assim que o adversário passou, fez o mesmo. A partir do momento em que Kimi retoma a posição, a corrida volta ao normal. Claro que Lewis tinha o carro acelerando e tracionado. Mas Raikkonen também tinha. E defendeu a posição como pôde. Foi o maior barato, um dos mais belos momentos do ano. Hamilton, no entanto, estava mais rápido. Passou na La Source, ainda foi tocado, e seguiu em frente. Fim do ato 3.

Enfim, não vi nada demais. Nem esperteza do primeiro, nem ingenuidade do segundo, nem atitude antidesportiva de qualquer um dos dois. Situação de corrida difícil, mas que foi concluída dentro dos conformes, como diria o outro.

Eu não puniria ninguém.


Com isso, Massa herdou a vitória (o inglês caiu para a terceira posição) e está a apenas dois pontos do piloto da McLaren na classificação. Faltam 5 corridas para o fim do campeonato e creio que não tem mais jeito: Kimi vai ser o Rubens Barrichelo do Massa daqui por diante (não o Rubens Barrichelo da Honda, sempre nas últimas posições, mas o Barrichelo fiel escudeiro do Schumacher em 5 títulos mundiais do alemão). Só espero que isso não tire ainda mais a motivação dele, fazendo com que fique sempre bem prá trás e não ajude em nada (se bem que se o Massa fosse campeão dessa forma seria até mais bonito; além disso, que ajuda o Kovalainen tem dado ao Lewis?).

GP da Bélgica - Ao Vivo IX

Eu falei tanto na chuva que não vinha e ela chegou nas últimas voltas e mudou um monte de coisas. Raikkonen bateu por causa dela, Heidfeld ganhou um lugar no pódio por causa dela (parou prá trocar pneus, voltou e estava tão mais rápido que os outros que veio ultrapassando todo mundo sem dó, mais uma volta e ganhava a corrida), Massa provavelmente vai virar o piloto nº 1 da Ferrari por causa dela.

Kimi agora está 23 pontos atrás de Hamilton, que leva 8 pontos de vantagem prá Massa. Está bem difícil para o brasileiro, que vai precisar de toda a ajuda da equipe, inclusive de seu companheiro de cockpit, para tentar a grande arrancada.

GP da Bélgica - Ao Vivo VIII

Hamilton faz uma ultrapassagem hardcore em Raikkonen, com toques de lado a lado. Aí, ambos rodaram, Massa se aproximou mas não passou ninguém. Depois, o Raikkonen foi de cara no muro e o brasileiro herdou a segunda posição.

Encerra logo essa carreira, Kimi!

GP da Bélgica - Ao Vivo VII

Corrida segue bem chatinha, sem emoções, ao contrário do que costuma acontecer na pista belga.

E ninguém nem fala mais na tal chuva.

GP da Bélgica - Ao Vivo VI

Uma hora depois de anunciar que a chuva não apareceria pelos próximos 30 minutos, a meteorologia prevê chuva para daqui a 20 minutos.

Sei não, acho que a Bélgica vai experimentar um período de longa seca, tipo uns 6 meses sem chuva.

Gp da Bélgica - Ao Vivo V

Massa, percebendo que não conseguirá lutar com Hamilton e Kimi, começa a poupar seu equipamento a fim de garantir o pódio e evitar uma possível quebra do motor (lembre-se que nas duas últimas corridas a Ferrari teve um motor estourado, e isso é meio traumatizante).

GP da Bélgica - Ao Vivo IV

Nelsinho fora da corrida. Enquanto isso, após a primeira rodada de pit-stops, a corrida segue sendo liderada por Kimi Raikkonen, com Hamilton em segundo e Massa em terceiro.

GP da Bélgica - Ao Vivo III

Vai ser um fim de semana sem Galvão Bueno: Cléber Machado está narrando a corrida e vou ver o jogo do Brasil pela ESPN Brasil, provavelmente com a narração do João Palomino.

GP da Bélgica - Ao Vivo II

Após uma primeira curva complicada, Raikkonen botou de lado e passou o Massa na marra. Já fez mais hoje do que na corrida anterior inteira.

Enquanto eu escrevia o parágrafo acima, o finlandês já ultrapassava o Hamilton, assumindo a liderança. Deve estar com combustível para mais 2 ou 3 voltas.

GP da Bélgica - Ao Vivo

Bem amigos de O Roto Falando do Esfarrapado, falamos com imagens ao vivo de Spa-Francorchamps, para acompanharmos em todas as suas emoções o GP da Bélgica de Fórmula 1, temporada 2008.

E prá começar temos a informação de que não choverá na pista durante os próximos 30 minutos, o que quer dizer que vai começar a chover em 10 segundos, ou que a chuva virá daqui a 2 meses.

Não tem dinheiro

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Como acontece com certa freqüência, mais uma vez estamos no noticiário nacional, mais uma vez com algo desabonador (fonte: coluna do Ancelmo Góis, no Globo de hoje):

Setembro

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Começa o mês de setembro, amigos leitores. Que sejam 30 dias bem legais para todos e que haja boas coisas para postar aqui.