Final da Euro 2008 III

domingo, 29 de junho de 2008

O apocalipse se aproxima - a Espanha ganhou um título: a Euro 2008 (prevejo um comentário do Rafael sobre meu pé-frio).

Parabéns à Fúria por essa conquista que deverá tirar deles o título de maiores amarelões do futebol mundial - agora o posto é do Botafogo.

Final da Euro 2008 II

Para coroar a bela temporada que teve jogando pelo Liverpool, Fernando Torres acaba de abrir o placar em Viena. É impressionante o que cresceu este jogador ao sair do Atletico de Madrid. A responsabilidade de ser o eterno salvador da pátria colchonera estava fazendo mal a ele; sair para um clube muito maior fez com que ele não tivesse que se preocupar em ser o dono do time, podendo focar totalmente em fazer gols.

Final da Euro 2008

Alemanha x Espanha - começou a final da Euro 2008. Acho que os alemães vão sair vencedores, e se não der prá ser baseado em um grande futebol, será baseado em sua camisa pesadíssima.

Wii

Resisti bravamente durante um longo tempo, mas agora não teve jeito: voltei a ser possuidor de um videogame, dessa vez um Wii, da Nintendo. A proposta dele, de jogos mais casuais para usuários menos hardcore, me atraiu.

Comprei também um Wii Fit, e estou adorando essa coisa de fazer exercícios físicos jogando videogame. Não emagreci nada ainda, mas creio que é questão de tempo.

Seja bem vindo

Acabou-se a era Eurico Miranda: um tempo em que o Vasco foi o clube mais antipático do Brasil, de brigas com jornalistas, negociações escusas, pouco ou nenhum resultado em campo, um tempo em que os próprios torcedores tinham dificuldades de saber novidades sobre o time, já que estávamos na idade da pedra em termos de comunicação e marketing. Um tempo em que as grandes empresas hesitavam em investir em nosso clube.

Que venha o Roberto Dinamite e renove tudo, e mesmo que o resultado não venha em campo com os títulos que queremos, pelo menos o Vasco não será mais sinônimo de tudo o que há de pior no futebol.
Zemanta Pixie

GP da França - Pós-corrida

domingo, 22 de junho de 2008

O estrago no carro do Raikkonen:



(imagem chupada do Blig do Gomes)

Euro 2008: Itália x Espanha - III

A Espanha elimina a Itália nos penalties. Como disse, preferia a passagem da Itália, mas o fato é que a Azurra não fez um bom jogo, excessivamente postada atrás contando com milagres de Buffon. Muitas vezes essa tática dá certo, mas hoje falhou. Talvez esteja na hora do futebol italiano pensar mais ofensivamente - o fato de serem os atuais campeões do mundo deveria legitimar essa mudança, uma vez que não há a pressão por uma grande conquista.

Estou com a sensação que a Rússia irá para a final, só imploro aos deuses do futebol que não seja contra a Turquia.

Euro 2008: Itália x Espanha - II

Mais uma prorrogação na Euro 2008 - a terceira seguida. Seria isso um sinal de equilíbrio de forças, uma mostra de como a competição é de alto nível? Ou, pelo contrário, uma prova de que o futebol que se pratica hoje em dia é muito amarrado, disputado no meio de campo, defensivo, fazendo com que as equipes busquem não perder ao invés de vencer?

Euro 2008: Itália x Espanha

Euro 2008: intervalo de Itália 0 x 0 Espanha. Por favor, que sejamos poupados de ter apenas a Alemanha dos gigantes do futebol mundial entre os semifinalistas (não venha me dizer que a Espanha é um dos grandes).

Aliás, uma equipe que deixa o Fábregas no banco tinha que ser eliminada automaticamente de qualquer competição que disputasse.

Asseado

João Roberto limpando o chão - ao contrário dos pais, este é um menino que gosta de tudo limpinho e adora atividades físicas:

GP da França - Ao Vivo VIII

Massa vence e lidera o Mundial. Raikkonen foi o segundo e Trulli o terceiro. Kubica ficou em quinto, Nelsinho em sétimo (com direito a ultrapassagem de sorte sobre o Alonso na última volta) e Hamilton não pontuou. Pontuação do campeonato: Massa 48, Kubica 46, Raikkonen 43, Hamilton 38.

Felipe Massa rumo ao título!

GP da França - Ao Vivo VII

A chuva vai vir, a chuva está chegando, algumas gotas estão caindo, mas o fato é que não teve nada até agora.

Viva a meteorologia!

GP da França - Ao Vivo VI

Raikkonen realmente estava com um rendimento muito ruim. Massa passa e se encaminha para a vitória. O carro do finlandês está com o escapamento solto, que loucura!

GP da França - Ao Vivo V

Raikkonen perde tempo com o tráfego e Galvão se empolga, depois quando Massa pega o mesmo tráfego Galvão enlouquece com os retardatários: "Bandeira azul agitada! Bandeira azul agitada! Bandeira azul agitada!".

GP da França - Ao Vivo IV

Galvão parece se conformar com o segundo lugar e já faz contas quanto à classificação do campeonato. Enquanto isso, a sempre imprecisa meteorologia promete chuva para no máximo 5 minutos.

GP da França - Ao Vivo III

Após a primeira rodada de pit-stops, Raikkonen mantém a ponta com sobras.

GP da França - Ao Vivo II

O young Nelson Piquet segurou Hamilon por várias voltas, até que o Inglês foi obrigado a fazer um drive-through por uma ultrapassagem suja efetuada no começo da corrida. Periga ser esse o melhor momento do Nelsinho no ano.

Quanto ao Massa, Raikkonen vai abrindo uma vantagem que dificilmente permitirá ao brasileiro ganhar a posição nos boxes.

GP da França - Ao Vivo

E começa o Grande Prêmio da França. Massa em segundo, há uns poucos segundos de distância do líder Raikkonen. Segundo Galvão Bueno, a estratégia é tentar ganhar a ponta nos pit stops, uma vez que Massa terá uma - talvez duas - voltas a mais que o finlandês antes da primeira parada.

Bosta

terça-feira, 17 de junho de 2008

Maurício Saldanha, do Cinema Com Rapadura, expressa seus sentimentos após o término da sessão de Fim dos Tempos:

Horrível

segunda-feira, 16 de junho de 2008

No sábado fui ao cinema assistir a Fim dos Tempos. Lá estava eu, ainda meio assustado pela incapacidade de falar - bem ou mal - sobre A Dama na Água, mas animado pela perpectiva de assistir a mais um M. Night Shyamalan na tela grande - visto que assisti a todos os outros, de O Sexto Sentido prá cá, no escurinho do cinema, e gostei da maior parte deles.

Mas definitivamente não gostei desse. Amigos, Fim dos Tempos é um filme horrível, um argumento idiota, uma perda de tempo (para mim) e de milhões de dólares (para Hollywood). Ainda que se possa perceber a costumeira competência de Shyamalan em alguns enquadramentos e na construção de ambientes sufocantes, o filme é um lixo, sua história é ridícula.

Improdutivo

Mais um fim de semana perdido, jogado no lixo, improdutivo, tedioso.

Lisey e Moby Dick

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Alguns dias atrás terminei Love - A História de Lisey. Tem uns trechos bem interesantes sobre coisas como morte, catatonia e viuvez, mas é difícil engolir a quantidade de termos usados, todas as coisas do mundo parecem em algum momento ser alvo de alguma frase espirituosa do escritor Scott Landon ou da família de sua viúva Lisey. Soa muito artificial.

No momento estou me aventurando a bordo do Pequod, em busca da baleia branca conhecida como Moby Dick.

Sempre o próximo

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Veja só que palavras interessantes eu pesquei do blog da portuguesa Eduarda Sousa (que, confesso, não tenho a menor idéia de quem seja, mas já percebi que vale a pena lê-la)

a leitura é um permanente desassossego. um leitor pode estar a ler um bom livro e sentir-se preenchido com essa leitura mas, no fundo, o seu pensamento já está no próximo que lerá. os bibliófilos são leitores atormentados que dificilmente gozam em pleno o sabor de um grande livro. porque ainda não se começou a ler e já se pensa no próximo. sempre o próximo.

quando me deparo com grandes livros tento ler mais devagar para prolongar o prazer e chegar mais tarde ao fim. isso não impede que, no meu íntimo, o pensamento já esteja no próximo, a desejar que me complete como o actual. o próximo, sempre o próximo.


Também sinto-me assim em relação a minhas leituras, não importa o quão prazerosas sejam algumas, estou sempre preocupado com o(s) próximo(s) livro(s) que lerei. Sempre o próximo.

A literatura é infinita.

Indiana Jones

domingo, 8 de junho de 2008

Acabo de chegar do cinema onde assisti a Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal. É bem legal a sensação de estar vendo um filme do Indy na tela grande, mas o fato é que a história não me conquistou: achei escapista demais, mentirosa demais, forçada demais. Fiquei com saudades da Última Cruzada (tá, eu sei que esse também era bem irreal, mas que foi bem mais bacana isso foi).

GP do Canadá - Ao Vivo III

Se alguém te dissesse que o pódio de uma corrida de Fórmula 1 (não disputada em Mônaco) seria formado por Robert Kubica, Nick Heidfeld e David Coulthard você acreditaria? Nem eu, mas foi o que aconteceu neste GP do Canadá. Massa foi o quinto, e empatou em pontos com o Hamilton (Kubica está 4 a frente), além de ficar 3 a frente do Raikkonen. Rubinho foi o sétimo, e a Honda começa a dar sinal de vida.

Estou começando a achar que o Massa vai ganhar o título desta temporada.

GP do Canadá - Ao Vivo II

Rubinho liderando a corrida (ainda que momentaneamente). Estarei eu delirando?

GP do Canadá - Ao Vivo

Hamilton faz uma cagada monstro, acaba com sua corrida e a do Raikkonen. Parecia que a prova (e talvez o campeonato, apesar de estarmos ainda na primeira metade da temporada) tinha caído no colo de Massa, mas uma falha no reabastecimento de seu carro fez com que ele tivesse que voltar aos boxes e suas chances de vencer quase acabaram.

Em tempo: se você fosse piloto de Fórmula 1, dirigindo a mais de 300 km/h, se preocuparia com um sinal vermelho (além daqueles da largada)?

Final de Roland Garros III

Nadal deu uma sova no Federer, com 3 a 0 no jogo, incluindo um humilhante 6-0 no último set. Se o suíço é o número um do mundo de forma (quase) incontestável, o fato é que o saibro pertence a Nadal (assim como já pertenceu ao Guga).

Federer esteve absolutamente irreconhecível, errando bolas fáceis, posicionando-se muito mal e sem uma estratégia definida para vencer o espanhol. Pareceu ter entrado em quadra já derrotado.

Final de Roland Garros II

Nadal vai triturando Federer - 6-1 no primeiro set (2-0 até o momento neste segundo). Aliás, parece que o Federer que está entregando o jogo, pois está errando bolas muito fáceis e se posicionando muito mal.

Desisti

Hoje seria o dia de minha prova do concurso para o TRT-RJ. Seria porque, esqueci de mencionar aqui, eu desisti de estudar para ele. Estudar legislação é algo que não me dá o menor tesão, algo para o qual não me sinto motivado, algo que simplesmente não consigo fazer por mais que tente - e fique ciente que eu dei uma boa tentada.

Vou ter que procurar um concurso que pague bem e não tenha legislação em seu programa - ou pelo menos que tenha bem pouquinho dela, tipo um capítulo só.

Final de Roland Garros

Federer e Nadal vão decidindo Roland Garros (enquanto escrevo disputa-se o 2º game do 1º set). Chance para o espanhol ganhar seu quarto título seguido no saibro parisiense e para Federer tornar-se o 1º tenista desde Agassi a ganhar os 4 Grand Slams.

Nadal começou bem quebrando o saque de Federer logo de cara, mas nesse momento o suíço tem um break point a seu favor.

Mais um prá biblioteca

sábado, 7 de junho de 2008

Esse não veio da Bienal do Livro, mas da Saraiva.com:

- O Mago, de Fernando Morais. A aguardada e, dizem, bombástica biografia do Paulo Coelho. Houve um tempo em que eu devorava avidamente os livros dele. Hoje em dia leio seus lançamentos mais como uma obrigação, por ter aos poucos me distanciado de seus temas, e por achar sua escrita simplista demais. De qualquer forma, creio que a biografia deve ser bem legal, uma vez que me parece que ele teve uma vida bem agitada.

Euro 2008 começa

Está começando a Euro 2008 com Suíça x República Tcheca. Não é o jogo dos sonhos de ninguém, mas é bem bonito de ver, e depois desse jogo tem a estréia de Portugal contra a Turquia, uma boa chance de ver o melhor do mundo, Cristiano Ronaldo, em ação, algumas semanas após ter ele conquistado o título da Liga dos Campeões.

Mais livros comprados na Bienal (deverão ser os últimos)

quinta-feira, 5 de junho de 2008

- Dois livros de Louis Begley: Schmidt Libertado e Sobre Schmidt. O tal Schmidt foi interpretado no cinema por Jack Nicholson no filme As Confissões de Schmidt, cuja história, pela leitura das contracapas, não tem muito a ver com nenhum dos dois.

- Spider, de Patrick McGrath. Também gerou um filme, o qual assisti alguns anos atrás, e do qual não lembro de nada.

- O Fiasco, de Imre Kertész. Autor húngaro, vencedor do Nobel em 2002.

MTV fora da Sky

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Justo agora que estava me reaproximando do canal, a Sky tirou a MTV de sua grade de programação. Graças a programas como o Top Top e, especialmente, o 15 Minutos, a MTV Brasil - que há muito tempo vinha sendo apenas mais um entre tantos canais que eu não assistia - passou a fazer parte de minhas paradas obrigatórias.

Bem, agora é torcer para que essa pendenga de renovação de contrato entre ambas se resolva logo.

Conversa afiada na multidão

Duas imagens da passagem do Paulo Henrique Amorim pela Bienal do Livro (nenhuma delas está boa, mas ainda assim foram as melhores que eu tirei - por outro lado fiz alguns vídeos legais, que depois colocarei aqui também):

Paulo Henrique Amorim na Bienal I


Paulo Henrique Amorim na Bienal II

Paulo Henrique Amorim e a multidão

terça-feira, 3 de junho de 2008

Acabo de voltar da Bienal do Livro, onde estive para ver uma palestra do Paulo Henrique Amorim. Ao contrário da fracassada apresentação do Carlos Heitor Cony (em que não havia quase ninguém e o palestrante não compareceu - sem sequer enviar uma justificativa), dessa vez a estrela da noite apareceu. E não estou exagerando ao chamá-lo de estrela, uma vez que havia umas 500 pessoas para assistir a apresentação (tiveram que tirá-la do café literário, onde devem caber umas 50 pessoas confortavelmente instaladas, e passá-la para a arena cultural, um espaço bem maior e muito desconfortável, onde a maioria das pessoas teve que ficar em pé se acotovelando em arquibancadas improvisadas). Creio que 90% das pessoas que estavam lá não vieram ver o jornalista, mas sim "aquele moço que aparece na Record"; não vieram ouvir sobre "cultura e sociedade no cenário nacional e internacional" (que era o tema original da palestra) mas sobre como a Record vai superar a Globo (ou, como ele disse, "aquela outra emissora").

Até pelo tamanho inesperado e - falemos a verdade - pelo flagrante baixo nível dela, ele mudou o tema da apresentação, resolveu falar um pouco sobre sua carreira, sobre a Rede Record, e um tantinho sobre a economia brasileira sob a perspectiva da classe c. Não creio que fosse ser desinteressante, mas o fato é que a multidão que me espremia acabou levando-me a ir embora. É o meu velho pânico de lugares cheios de gente.

De qualquer forma foi até bacana e vi uns livros com uns preços legais que pretendo comprar amanhã.

Aquisições na Bienal (até agora)

segunda-feira, 2 de junho de 2008

É claro que não dá prá sair de uma Bienal do Livro com as mãos abanando (mesmo que essa Bienal seja campista):

- Em Busca do Borogodó Perdido, coletânea de crônicas do Joaquim Ferreira dos Santos.

- 54, do grupo de escritores conhecido como Wu Ming.