Frustrado

sábado, 31 de maio de 2008

Acabo de chegar da 5ª Bienal do Livro aqui de Campos. Ao contrário das edições anteriores, em que só me interessei em olhar os livros à venda, dessa vez resolvi participar do Café Literário, a fim de ouvir palestras sobre a literatura em geral. Para fazer minha estréia nesse espaço resolvi ir ver a apresentação do Carlos Heitor Cony "Ler para ser". E não é que o danadinho do Cony não compareceu. Poucas pessoas estavam esperando (parece que ninguém gosta de literatura nessa cidadezinha), e todas foram embora sem ouvir as palavras do autor de Quase Memória, O Ventre, O Piano e a Orquestra entre muitos outros. Comecei mal.

Imagens de Campos

Deixaram um recadinho


Catedral


Centro de Campos II


Centro de Campos III

Mais um para a biblioteca

sexta-feira, 30 de maio de 2008

Moby Dick, de Herman Melville, na edição luxuosa e mastodôntica da Cosac Naify.

Dêem uma olhada no site caprichado do lançamento, cheio de informações para quem quer mergulhar nesse livro que, espero, deve ser maravilhoso.

Nova aquisição

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Além do Slam, mais um título foi acrescentado à minha biblioteca particular: Love - A História de Lisey, do Stephen King. Já vou começar a lê-lo amanhã, uma vez que qualquer novidade do mestre King precisa ser devorada o mais rapidamente possível.

Refrescante

Que livro agradável, o Slam. Realmente muito legal. Quem tiver interesse em uma história fictícia, mas que poderia perfeitamente ser real, com personagens completamente humanos, com tudo de bom e ruim que essa afirmação quer dizer, quem gostar de uma literatura fresquinha, cheia de pessoas falando sobre coisas de hoje em dia (ao contrário das novelas da TV, os personagens do livro usam celulares, mensagens de texto e internet), quem gostar desse tipo de literatura precisa ler este livro.

Posso dizer que gosto de todas essas coisas e adorei a leitura.

Odeio rodeio

Música muito bacana do Chico César:

Slam

terça-feira, 27 de maio de 2008

Em todo caso, só estou dizendo que houve uma época... talvez tenha sido um dia, talvez alguns dias, eu já não lembro... em que tudo parecia estar dando certo. E, obviamente, era hora de ir fazer uma cagada geral.

A citação acima é um trecho do primeiro capítulo de Slam, mais recente livro de Nick Hornby, que comecei a ler agora há pouco (a tradução é de Paulo Reis). Parece-me que a cagada citada é engravidar uma menina (para entender a profundidade da situação, tem-se que saber que o rapaz tem apenas 15 anos).

Comecei a leu Hornby com o excelente Alta Fidelidade e devo dizer que adoro seu texto jovem, simpático, refrescante. Mesmo um livro mais-ou-menos como seu anterior, A Grande Queda, é escrito de uma forma que nunca entedia o leitor.

GP de Mônaco - Ao Vivo IV

domingo, 25 de maio de 2008

Hamilton em primeiro, Kubica em segundo e Massa em terceiro. Pelo menos o Raikkonen abandonou e Massa está a apenas um ponto dele. Hamilton lidera o campeonato 4 a frente do Massa, mas tudo leva a crer que o prosseguimento da temporada será muito mais favorável à Ferrari.

P.S.: Nunca mais acredito em meteorologia.

GP de Mônaco - Ao Vivo III

A meteorologia parece ser a ciência mais inexata do mundo. Primeiro aparece a informação de que vai chover em 15 minutos. 20 minutos depois, informa-se que vai chover em 6 minutos. 10 minutos depois nada de chuva.

E a corrida do Massa, que nesse momento baseia-se em uma aposta pró-chuva, parece que vai terminar em uma 2ª posição. Talvez 3ª.

GP de Mônaco - Ao Vivo II

Massa dá uma vacilada e Kubica assume a ponta da corrida. Será que hoje é o dia do polonês?

GP de Mônaco - Ao Vivo

Mônaco com chuva, o único jeito desse GP adquirir emoção. Massa conseguiu manter-se em primeiro no início mas daqui a pouco começam as trocas para pneu de chuva, batidas no muro com certeza acontecerão e corrida deverá ficar animada (ou, pelo menos, engraçada).

Despedida



Hoje será um dia triste para o esporte brasileiro. Deverá ser o último jogo profissional de Gustavo Kuerten (a não ser, é claro, que ele apronte uma surpresa, o que seria muito legal), o maior jogador da história do tênis brasileiro. E essa despedida se dará em Roland Garros, o maior palco de sua carreira, onde ele conquistou seus 3 títulos mais importantes.

O jogo será contra o francês Paul-Henri Mathieu, 19º do mundo (a outra face na imagem que abre este post, a qual chupei do site do toneiro, que classifica o duelo como o "jogo do dia"), e deve ser realizado agora pela manhã. Se coincidir com a Fórmula-1, o pole-position Felipe Massa que me perdoe: Guga é muito mais importante.

Terapia

sábado, 24 de maio de 2008

Fabulosa nova série na HBO: Em Terapia. A premissa parece simples, mas não é: episódios de 30 minutos apresentados de segunda a sexta em que a cada dia o psiquiatra interpretado por Gabriel Byrne recebe um paciente diferente. Todo o episódio é baseado apenas nisso, a sessão do psiquiatra com seu paciente. Não há flashbacks ou qualquer tipo de imagem que ilustre o que os pacientes falam, simplesmente a conversa entre doutor e paciente. Para conseguir segurar a atenção do espectador os diálogos têm que ser muito bons, e de fato o são. Todos têm dilemas pessoais, nada extraordinários, o que os torna ainda mais humanos, e faz com que o público sinta empatia por cada um.

Imperdível.

O jogo do ano XII

quarta-feira, 21 de maio de 2008



Van der Sar herói, Manchester United campeão mesmo com Cristiano Ronaldo tendo perdido seu pênalty. Terry teve o título a seus pés, mas perdeu o pênalty decisivo. Outro erro, dessa vez de Anelka, deu o título aos Red Devils.

Van der Sar foi campeão no início de sua carreira, pelo Ajax, e agora ganha quando ela parece estar se aproximando do fim. Destaque também para Ryan Giggs - recordista de jogos pelo clube -, Cristiano Ronaldo, Tevez, Rooney (os maiores goleadores da temporada) e Rio Ferdinand (um gigante na zaga).

O jogo do ano XI



Não teve jeito, vamos aos pênalties. Mas não se enganem: foi um jogão, ao contrário daquele Milan 0 x 0 Juventus de 2003 (que também foi entre dois times de um mesmo país, com disputa de pênaltis ao final).

O jogo do ano X



Confusão em campo, vários cartões amarelos distribuídos e Drogba expulso. A Liga dos Campeões acaba de ter seu momento-Maracanã.

O jogo do ano IX



Final do 1º tempo da prorrogação: o Chelsea chegou mais vezes, mas o Manchester quando chegou trouxe enorme perigo e John Terry salvou milagrosamente.

Vamos lá, caras, só um golzinho e não teremos que encarar o espetáculo patético dos pênalties.

O jogo do ano VIII



Vamos à prorrogação. Que o jogo seja decidido nessa etapa para evitarmos a loteria dos pênalties.

O jogo do ano VII



Tevez anda sumido no jogo. Já o Rooney nem sei se entrou em campo. Cristiano Ronaldo fez um ótimo primeiro tempo, mas está apagado nesse segundo.

O jogo do ano VI



Só falta o Sheva, após duas temporadas horrorosas no Chelsea, entrar e fazer o gol do título.

O jogo do ano V



Lampard empata o jogo numa sobra de bola dentro da área dos Diabos Vermelhos. O segundo tempo promete fortíssimas emoções.

Logo depois disso o Ricardo Carvalho quase quebrou a perna do Cristiano Ronaldo e recebeu apenas um amarelo. As arbitragens deveriam proteger os craques, afinal de contas é para vê-los em ação que os estádios enchem e a audiência da TV é enorme. Se não fossem os craques, ninguém se interessaria pelo futebol.

Fim da primeira etapa.

O jogo do ano IV

Carlitos Teves: campeão argentino, campeão brasileiro, campeão inglês, campeão da Libertadores, caminhando para conquistar a Liga dos Campeões. Que carreira!

O jogo do ano III

Cristiano Ronaldo de cabeça: 1 a 0 Manchester United. Será que ainda dirão que ele não é decisivo?

O jogo do ano II

Que coisa esquisita é essa do Chelsea de estrear a camisa da próxima temporada no último jogo desta.

Quanto ao jogo, está meio morno, meio nervoso, mas está apenas começando.

O jogo do ano

Chegou a hora: vai começar Manchester United x Chelsea. Vou assistir pela ESPN Brasil (que, por sinal, acertou ao escalar o Paulo Andrade como narrador - ao invés do João Palomino. Andrade e PVC formam a dupla especialista em futebol inglês do canal, e já que a final será entre dois ingleses...).

Clarah em vídeo

domingo, 18 de maio de 2008

Clarah Averbuck (que antes atendia aqui, mas agora recebe visitas aqui) foi uma espécie de objetivo a ser alcançado durante um período de minha vida. Não, eu não era tarado por ela, não queria seu amor ou seu corpo, o que quero dizer é que eu invejava sua vida de escrever avassaladoramente, se divertir, ter um blog fodão (se este aqui existe, em parte é por culpa dela), lançar livros e viver disso tudo. Bem, obviamente meu blog nunca foi fodão e nunca recebi um centavo por qualquer coisa que eu tenha escrito.

Todo esse prefácio idiota para dizer que eu nunca tinha visto a Clarah em vídeo, só em algumas poucas fotos. Aí abaixo está a primeira vez que a vejo se mexendo (e também a primeira em que ouço sua voz). Fico feliz em saber que - apesar de eu não ter conseguido viver das palavras - ela vai indo bem, com livros e até um filme baseado em sua obra

3 filmes

sábado, 17 de maio de 2008

Filmes aos quais assisti nos últimos dias:

- Reine Sobre Mim. Premissa nem um pouco original: acidente mata a família de um homem e ele entra em estado de choque. Um amigo que não via há muitos anos tenta trazê-lo de volta à vida normal. O personagem do Adam Sandler é bem legal, bem construído, com uns maneirismos bacanas, mas é difícil não chegar ao final do filme com a sensação de que já viu a mesma coisa antes.

- Os Indomáveis. Quando tem um bom papel, Russel Crowe costuma fazer miséria. É o caso desse faroeste, em que Crowe interpreta Ben Wade, lendário fora-da-lei que é capturado e tem que ser levado a uma distante cidade onde deverá ser embarcado em um trem rumo à prisão. Quem também tem um personagem riquíssimo é Christian Bale (que eu não conhecia até pouco tempo atrás, mas que emendou uma grande seqüência entre meus filmes assistidos - O Grande Truque, Batman Begins e este), com um rancheiro manco endividado, prestes a perder sua propriedade e que aceita fazer parte do grupo que transportará Wade, em troca de dinheiro para quitar suas dívidas. Durante o transporte do criminoso as qualidades insuspeitas do personagem de Crowe vêm à tona e ele acaba mantendo uma estranha relação de confiança com o personagem de Bale. Achei o final meio esquisito, mas o filme é muito bom.

- O Nevoeiro. Baseado em um conto (que ainda não li) de Stephen King e dirigido por Frank Darabont (que, por sinal, é especialista em levar textos do mestre King para a tela do cinema), este filme trata de fazer uma análise sobre como a humanidade reage frente a situações-limite: moradores de uma pequena cidade do interior ficam presos dentro de um supermercado quando um estranho nevoeiro toma conta das ruas. Não se sabe nada sobre ele, mas criaturas perigosas parecem se ocultar na bruma. Embates religiosos são travados entre as pessoas no mercado e algumas pessoas resolvem arriscar-se e sair de lá. O final é doloroso, muito doloroso. Vou ficar um bom tempo sem ver filme de sustos.

No momento vendo o jogo entre Rafael Nadal e Novak Djokovic pela semifinal do Master Series de Hamburgo.

Exposição pública

terça-feira, 13 de maio de 2008

ALguns dias atrás parei de estudar para o concurso. A verdade é que estava muito chato e eu não tenho disciplina nenhuma. Mas este post é uma tentativa de puxar minha própria orelha, através da exposição pública de minha fraqueza. Vamos ver se agora consigo.

GP da Turquia - Ao Vivo V

domingo, 11 de maio de 2008

Felipe Massa vence pela 3ª vez consecutiva na Turquia. A diferença para o Raikkonen caiu para 7 pontos (aliás, como é difícil tirar diferenças de pontos com esse sistema de pontuação), já que ele chegou em 3º (Hamilton foi o 2º).

Barrichelo foi apenas o 14º, longe dos pontos, em sua corrida de número 247. Nelsinho Piquet chegou uma aposição atrás (será que já dá para considerá-lo uma decepção?)

A próxima prova será o GP de Mônaco, no horroroso circuito das ruas de Monte Carlo. Será, como sempre, uma procissão.

GP da Turquia - Ao Vivo IV

Clique aqui para ver o capacete comemorativo de Rubens Barrichelo.

Rubinho tem chance de chegar aos pontos hoje.

GP da Turquia - Ao Vivo III

Hamilton acaba de ultrapassar Massa e já vai abrindo uma boa distância. Será que Massa irá perder uma vitória quase certa? Se perder, ao menos terá sido com uma ultrapassagem de verdade, na pista, e não essa coisa artificial de ultrapassar nos boxes.

GP da Turquia - Ao Vivo II

Um acidente no início da corrida troxe de volta a polêmica: safety car ou carro de segurança? Já me posicionei a respeito aqui.

GP da Turquia - Ao Vivo

Nunca fiz parte do coro dos detratores de Rubens Barrichelo. Confesso, um tanto quanto envergonhado, que chorei em sua primeira vitória (acho que foi na Alemanha), e sempre achei que, embora não fizesse parte do time dos grandes campeões, se tratava de um piloto muito superior à média da Fórmula-1. Dito isso, dou os parabéns a ele por seu GP de número 257, que lhe dá o recorde de maior número de largadas da história.

Sem cores

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Lembra do Kindle, o mais notável candidato a iPod dos livros. A Super deste mês traz uma resenha do produto, feita por um colaborador brasileiro que reside na Califórnia (uma pena que o site da revista nao permita sequer uma degustação do texto), e ele não ficou muito fã do produto.

Disse o moço que o aparelho tem muitas limitações, como a pobreza do design dos livros (com todas as imagens em preto e branco), o preço - US$400,00 - alto e o tamanho da tela.

Ao final do texto ele menciona - e eu já havia lido algo a respeito antes - que há especulações de que o livro eletrônico será a próxima inovação da Apple (conseguirão eles fazer pela literatura o que fizeram pela música?).

Pé- siberiano

Chego em casa, ligo a TV e o Vasco vai empatando em 1 a 1 com o Corinthians alagoano. Minha fama de pé-frio (título que recebi do Rafael) entra em campo novamente.

Ops, quando terminei de teclar o parágrafo acima, o Vasco fez a gentileza de desempatar o jogo, gol do cara mais vascaíno que já vi jogar: Edmundo.

Vejamos se dá para encaixar uma goleada e seguir rumo à conquista da Copa do Brasil, para, dessa forma, encerrar minha fase de pé-gelado.

Lambendo a cria

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Meu caçula pula-pula:

Todos contra II

domingo, 4 de maio de 2008

Depender dos outros é foda: o Botafogo me decepcionou. Não posso contar nem com meu time nem com o time dos outros.

Chega de futebol por um tempo.

Todos contra

Final do primeiro tempo: Botafogo 1 a 0. Só mais um e os urubus ficam sem título.

Todos contra o Flamengo.

Uma verdade

Uma sociedade que não lê é uma sociedade que se contenta com a realidade. Que mata a possibilidade de sonho.



Miguel Sanches Neto
Escritor brasileiro

(retirado da newsletter do Publishnews)

Haverá muita cerveja

Bayern de Munique campeão alemão. Nunca um time foi tão favorito a um título; o Bayern liderou o campeonato de ponta a ponta, em nenhum momento (nem quando o Werder Bremen empatou em pontos no final do primeiro turno) alguém duvidou que seriam eles, bávaros, os campeões.

Parabéns ao Bayern de Munique, o maior clube de futebol da Alemanha e um dos maiores do mundo.

Corte de cabelo homemade

sábado, 3 de maio de 2008

Há mais de 10 anos sempre - sem exceções - corto o cabelo com o mesmo cabeleireio (que, inclusive, fica meio longe aqui de casa, mas a cada 2 meses dou um jeito de aparecer). Ou melhor, cortava, porque hoje passei por uma experiência nova: Arlene cortou meu cabelo em casa, com uma máquina que compramos na rua.

O trabalho do cabeleireiro parece fácil: só ficar com a máquina prá lá e prá cá e tudo se resolve facilmente. Mas pudemos, ela e eu, comprovar que não é bem assim: é necessário acertar o ângulo do toque da máquina na cabeça - várias vezes ela ficou dando voltas e não cortava nada. É realmente necessária uma habilidade, e demorou um tempo para pegar o jeito.

Mas o fato é que ela conseguiu - com uma ajudinha minha. Estou de cabelo cortado; apesar de o pente dizer que é tamanho 1, creio que ficou do tamanho "máquina 2", talvez ela não tenha apertado o negócio com muita força na minha cabeça.

Homer Simpson em carne e osso



Medonho. Muito medonho.

(roubei de Comunicadores.info)

Há tempos

Pais e Filhos é a música mais badalada de As Quatro Estações, mas gosto muito mais de Há Tempos. Ela tem uma letra tão triste, tão preocupada com o rumo o mundo vai seguindo, tão desesperada pela situação dos jovens nesse mundo.

Versos como "Há tempos são os jovens que adoecem", "Dissestes que se tua voz/ Tivesse força igual/ À imensa dor que sentes/ Teu grito acordaria/ Não só a tua casa/ Mas a vizinhança inteira", "Há tempos (...) há ferrugem nos sorrisos" e "Só o acaso estende os abraços/ A quem procura/ Abrigo e proteção" estão entre os mais tocantes já escritos em língua portuguesa.

Na marca da cal

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Creio que uma disputa por pênalties nada mais é que um cara e coroa mais espetaculoso. É decisão na sorte, sem méritos em relação à qualidade dos jogadores (incluindo o goleiro).

Digo isso por ocasião da decisão da vaga à final da Copa da Uefa entre Fiorentina e Glasgow Rangers. O Rangers venceu por 4 a 2 nas cobranças após 0 a 0 nos dois jogos. Apesar de não ter muitos subsídios para falar sobre o futebol dos escoceses, creio que a Fiorentina tem mais time, mas o componente da sorte sorriu para a equipe britânica.

Pura loteria, melhor seria tirar par ou ímpar - ao menos seria mais rápido e menos prejudicial a pessoas com problemas cardíacos.

O tempo ruge

O tempo passa muito rápido. Estou estudando o dia quase todo e avancei muito pouco em Direito Constitucional.

Adeus, Europa

Do site da Trivela:

O Zenit parecia um time tradicional, que investira € 70 milhões em reforços para montar um esquadrão na temporada. O Bayern de Munique jogava como um tradicional coadjuvante que crescera à base de investimento recente em destaques locais. Os papéis, de fato, pareciam invertidos, mas foi assim que o atual campeão russo fez contundentes 4 a 0 sobre o time alemão, quatro vezes campeão da Liga dos Campeões.


Desta forma o Bayern de Munique despediu-se de sua maior ambição na temporada, um título continental (que, dado o volume de seus investimentos, era uma obrigação).

Novas ambições

- A Rocco está lançando um novo livro de Nick Hornby, Slam (pelo menos é o que a Época está dizendo, visto que não encontrei o tal livro nem no site da Rocco nem em lojas virtuais). Preciso tê-lo.

- A Objetiva vai lançar em breve o novo do Stephen King, Love - A História de Lisey. Preciso mais ainda tê-lo.