Aparecendo

domingo, 30 de setembro de 2007

Quase uma semana sem passar por aqui. Sei lá o que houve, acho que apenas estava sem vontade de escrever. E olhe que tive um dia de folga: não trabalhei na quarta-feira para compensar horas extras.

Milionários Demais não era tão ruim como parecia ser, mas não fui com a cara dele. Depois dele li mais um King, A Maldição do Cigano, originalmente publicado por seu pseudônimo Richard Bachman. Também não dei muita sorte com este. Foi legal mas creio que poderia ter sido bem mais.

Agora comecei Onde os Velhos Não Têm Vez, do Cormac McCarthy. Dele sempre espero um ótimo texto, apesar de sua bizarra aversão por vírgulas.

Bundesliga e Premier League

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Na Bundesliga, o Bayern de Munique conseguiu uma boa vitória contra o Karlsruher (clube onde Oliver Kahn iniciou sua vitoriosa carreira): 4 a 1, na casa do adversário. Apesar de ter empatado seus 2 jogos anteriores, o time continua sendo mais do que favorito à conquista do título desta temporada, ao passo que Miroslav Klose e Luca Toni seguem sua disputa particular para ver quem será o artilheiro do campeonato (por enquanto Klose vai liderando com 5, ao passo que Toni vem logo atrás com 4). Quem vai de mal a pior é o atual camepão Stuttgart, que levou uma goleada do Werder Bremen (4 a 1, com show de Diego) e encontra-se na 13ª colocação (além de ter perdido seu primeiro confronto na Uefa Champions League).

Enquanto isso, na Premier League temos um caso interessante: como todos sabem Sam Allardyce abandonou o comando do Bolton no final da temporada passada e assumiu o Newcastle. Pois bem, o Bolton, que com Allardyce sempre lutava pelo menos por vaga na Copa da Uefa, está na penultima colocação do campeonato, ao passo que o Newcastle, que nas últimas temporadas sempre se acomodou na zona intermediária, sem incomodar ninguém, agora está em 5º, e com um jogo a menos. O que será que esse técnico tem de tão especial?

Vaga na Libertadores se distanciando

Derrota vascaína: 2 a 0 para o Cruzeiro, e em São Januário. A vaga na Libertadores, que parecia relativamente tranqüila, agora está mais distante (estamos na 8ª colocação). Ainda dá (o Palmeiras, 4º colocado, tem apenas 3 pontos a mais que nós), mas vacilos como o de hoje não podem mais acontecer. E o próximo jogo já vai ser uma mini-decisão: vamos pegar o Santos (6º colocado, 2 pontos à nossa frente), na Vila Belmiro. Depois de perder dois jogos em casa, chegou a hora de reagir ganhando um fora.

50

Terminei minha matéria pendente da faculdade mais rápido do que esperava e já iniciei a leitura de mais um livro, meu 50º neste ano: Milionários Demais, de Rex Stout. Talvez ele ainda me surpreenda, mas até agora (por volta da página 70) parece-me muito pouco além de um mero passatempo. Seguirei lendo-o, mas não está deixando uma boa impressão.

Viciante

sábado, 22 de setembro de 2007

Nem os Mais Ferozes acabou, e realmente foi aquilo que falei: um livro viciante, excelente.

Vou dar uma pequena pausa na literatura por uns 2 ou 3 dias, porque deixei muita matéria da faculdade on-line se acumular, e como ela está saindo bem cara é bom fazer valer a pena.

Meu carro, minha cruz

É tiro e queda: toda vez que ganho um dinheiro a mais, o carro se encarrega de consumí-lo com um monte de consertos. Dessa vez após substituir a gerente por alguns dias e ganhar uma boa graninha extra, eis que no dia do pagamento o carro me fez levá-lo ao mecânico e desde então ele está lá. Cada conserto leva a outro conserto, cada peça consertada leva à descoberta de que outra peça quebrou. Preciso de um carango mais novo e confiável (carro 0km está além de minhas condições financeiras).

Leituras que acabam e começam

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Coronado acabou. Gostei dos contos, e o roteiro de peça de teatro do final também foi bacana (apesar de eu achar que teria mais impacto se o conto que a originou não estivesse no livro também), mas Sobre Meninos e Lobos foi infinitamente mais marcante. Numa próxima ocasião retornarei para os livros de Lehane, dessa vez será um romance.

Comecei Nem os Mais Ferozes, do Edward Bunker, e, bem, o livro me ganhou nas primeiras páginas. Fiquei viciado nele e sinto que vou terminá-lo rapidinho (o que me causará crises de abstinência depois). Bunker tem uma prosa que te agarra.

Coronado

domingo, 16 de setembro de 2007

Vou começar a leitura de um livro de contos: Coronado, do Dennis Lehane. Ele tem sido muito elogiado, tido como o novo grande nome da literatura policial americana. O único dele que li (Sobre Meninos e Lobos) mostrou-se digno de todos os elogios.

Fotos

Algumas fotos de minha recente estadia no Rio de Janeiro e adjacências:

- Tias Suzana, Lucília e Amália (com Fernanda e Ana Clara ao fundo):

Tias Suzana, Lucília e Amália

- Erick, o priminho careca e banguela:

Erick: careca e banguela

- Três gerações (vovó, papai e filhos/netos):

Três gerações

- Tia Suzana e João Roberto:

João Roberto e tia Suzana

- Papai, mamãe e seus guris:

Os 4 Mulatinhos

Boa disputa

A Fórmula-1 encaminha-se para um desfecho aqui no Brasil. Uma pena que o Felipe Massa não estará disputando o título, mas não deixa de ser uma disputa interessante esta entre Fernando Alonso e Lewis Hamilton.

Alonso, atual bicampeão, não precisa provar nada a ninguém, todos já estamos cientes de sua capacidade tanto de guiar o carro como de acertá-lo.

Já Hamilton é a novidade, um piloto que está em seu primeiro ano na maior categoria do automobilismo mundial e não seria nenhuma vergonha se tivesse um início de erros e deslumbramento para só após algum tempo se acertar; só que não foi o que aconteceu e ele já é o piloto estreante com os melhores resultados em todos os tempos, podendo ir além e conquistado logo de cara seu primeiro título.

Leitura concluída

Não preciso mais me preocupar em ser tomado por satanista ao ser pego lendo Os Versos Satânicos porque enfim terminei-o. Demorei porque dois fatores se combinaram: o fato de ser um livro grande e o fato de eu estar com pouco tempo livre, por estar subsituindo a gerente, entrando cedo e saindo tarde do banco.

O que achei do livro? Bem, devo confessar que não entendi muita coisa, mas apesar de tudo gostei, foi uma boa oportunidade de entrar em contato com a cultura da Índia (neste ano eu já havia lido O Legado da Perda, também de origem indiana) e sua estreita ligação com a Inglaterra. Quanto à polêmica da condenação de seu autor, Salman Rushdie, à morte por ofensas ao Islamismo, boiei: não conheço nada sobre essa religião, portanto não posso relacionar nada do que li a um insulto a seus princípios.

Muito trabalho

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Semana difícil. Estou substituindo a gerente, o que, relembrando meus velhos tempos, está me enlouquecendo. Mas preciso da grana extra, então tenho que agüentar.

Mais novidades para a biblioteca

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Mais algumas aquisições para minha biblioteca (todos, com exceção do último, comprados no sebo da LivrariaDoCrime):

- O Homem que Não Era Maigret - A Vida de Georges Simenon, de Patrick Marnham. Oportunidade para conhecer a aparentemente fascinante vida do criador do comissário Maigret, sobre quem tenho alguns livros em minha biblioteca;

- O Homem que Matou Getúlio Vargas, de Jô Soares. Há pouco tempo li o livro mais recente do Jô e quando vi este sendo vendido com 50% de desconto, resolvi adicioná-lo à biblioteca. Já o li há vários anos atrás e pelo que me lembro gostei mais do Xangô de Baker Street.

- Por Dentro do Crime, de Márcio Christino. Este veio de graça (por ter comprado mais de R$ 100,00), mas me parece ser bom.

- Pequenas Criaturas, de Rubem Fonseca. Deve ser muito bom, afinal o Rubem é o melhor contista brasileiro.

- A Confraria do Medo, de Rex Stout. Oportunidade para conhecer esse cara que escreveu tantos livros, além de sua mais célebre criação: o detetive Nero Wolfe.

- Milionários Demais, de Rex Stout. Idem ao anterior.

- Coronado, de Dennis Lehane. Sobre Meninos e Lobos foi um livro arrebatador; hora de conhecer mais a respeito de seu autor.

De volta

Sexta-feira de manhãzinha embarquei para o Rio de Janeiro, onde fiquei até ontem de madrugada. Cheguei em casa desde as 10 da manhã, mas um pouco cansado por causa dos horários de partida cruéis e pelas 4 horas dirigindo meu Escort 97 acabei não postando aqui.

Bem, depois de bons momentos com minha família carioca, é hora de recomeçar a rotina de bancário. Que seja uma boa semana.

Post nº 1000

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Milésima postagem neste blog. Desde 2001 estamos aqui, servindo bem para servir sempre. Muita coisa já conteceu de lá prá cá: estava noivo, separei, fui encontrado na sarjeta pelo meu eterno amor, tivemos dois filhos, morávamos em um semi-barraco, agora moramos em uma semi-casa, a enchente já destruiu um monte de coisa, compramos tudo novo etc. etc. etc.

Houve muitos períodos de ausência, mas nunca desisti de escrever aqui, e mesmo que hoje em dia quase ninguém acesse, e mesmo que as coisas que eu escreva tenham a profundidade de um pires, vou continuar escrevendo.

Aquisições

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Novas aquisições para minha biblioteca:

- Memória de Elefante, de António Lobo Antunes. Uma chance de conhecer este tão bem falado escritor português;

- Nem os Mais Ferozes, de Edward Bunker. Depois de ler Cão Come Cão, Bunker já está entre meus favoritos;

- Onde os Velhos Não Têm Vez, de Cormac McCarthy. Mais uma oportunidade para adentrar a densa prosa de McCarthy.

E por falar em livros, está bem difícil a leitura de Os Versos Satânicos, mas não vou desistir.

Citação

"Ninguém vive para sempre, mas todos nós brilhamos".

Última frase de Montado na Bala, filme (baseado em um conto de Stephen King) ao qual acabo de assisitir.

Semana curta

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Inicia-se uma nova semana, dessa vez mais curta. Na sexta-feira, 7 de setembro (grande símbolo de como não somos patriotas, ao contrário do momentos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas tentam convencer), pegarei a estrada ao volante de meu Escort 97 e encararei 4 horas de viagem rumo à cidade maravilhosa e adjacências, a fim de visitar minha tão amada família.

Livros - Começados e terminados

domingo, 2 de setembro de 2007

Fiquei alguns dias longe daqui e deixei de falar sobre minhas leituras. O Cemitério foi um excelente King, um dos melhores que já li dele. Depois que o terminei, comecei (e também já terminei) Assassinatos na Academia Brasileira de Letras, do Jô Soares. Um livro bem bacana, mas que poderia ter sido bem melhor, além de ter deixado pelo menos uma ponta sem explicação na resolução do mistério.

Agora estou começando Os Versos Satânicos, de Salman Rushdie, polêmico livro que rendeu ao autor uma sentença de morte (não executada) do aiatolá Khomeini. Verei o que há de tão controverso nesta obra.

Adeus, 100%

Novamente estou tendo um fim de semana distante do futebol. Só fiz uma pausa deste distanciamento para acompanhar Hamburgo 1 x 1 Bayern de Munique. Acabaram as minhas fantasias de que o Bayern ficaria uns 10 jogos com 100% de aproveitamento e sem levar gols. Mas é claro que esse resultado não move nem uma polegada sequer o Bayern de sua condição de favorito a massacrar todos outros times e conquistar com sobras a Bundesliga, além da Copa da Uefa e da Copa da Alemanha.

Os Simpsons - Já foi bem melhor

Na noite de quarta-feira fomos, a patroa e eu, assistir a Os Simpsons - O Filme. Concordo com o que anda sendo dito por aí, o filme é um episódio bem esticado da série, o que quer dizer que ele é bom. Mas eu ainda prefiro o humor das primeiras temporadas do desenho, quando as histórias eram centradas no núcleo famíliar e seus problemas internos, ao contrário do que acontece de vários anos para cá, quando quase não se vê Homer trabalhando e a família vive com dinheiro para viajar para países como Inglaterra, Brasil e China. O Homer de antigamente era um pai de família com QI baixo e muita vontade de comer, o atual é quase um débil-mental.

Os Simpsons continua como um de meus desenhos favoritos, mas já foi muito melhor.

Sai agosto, entra setembro

sábado, 1 de setembro de 2007

Termina o mês de agosto e inicia-se setembro. Agosto foi um bom mês, apesar do meu sempre odiado aniversário. Estou ficando no caixa lá no banco (e essa é a função que eu mais gosto), voltei a ser um universitário (apesar de ser à distância, e dos problemas que o curso vem apresentando), li bons livros, meus filhos aprenderam muita coisa.

Setembro também deverá ser bem legal e em outubro tirarei as sempre merecidas férias.