segunda-feira, 5 de setembro de 2005

Sou um refém do banco. Refém de um cargo que me paga um salário bom, o qual me permite ter coisas bacanas como este computador, mas acaba com minha sanidade mental e faz com que eu tenha pouco tempo para curtir minha família e - veja só que ironia - curtir as coisas bacanas que me permite comprar. De uns tempos para cá todo dia tem sido dia de ter vontade de desistir de tudo a cada 6 segundos.

Solução para meu caso: utopias como ganhar na Mega-Sena ou passar em um concurso para trabalhar pouco e ganhar muito.