domingo, 17 de julho de 2005


Ontem foi um dia para relaxar. Pelo menos a manhã foi. Eu, a sra. Andolini e o infante Andolini fomos ver as cores do Jardim São Benedito. Muito verde das árvores, muita areia no chão, muitos bichinhos e, claro, crianças, muitas delas, correndo, jogando bola, pulando, aprendendo, sorrindo. Bom lugar para se esquecer das preocupações dos chamados dias úteis. Aproveitei para sentar e ler O mochileiro das galáxias 3 - A vida, o universo e tudo mais, de Douglas Adams, naquele ambiente calmo. O infante se divertiu vendo e interagindo com outras criancinhas, que pareciam adorar descobrir alguém ainda mais jovem que elas.

Quanto ao dia de hoje, assisti ao grande filme que citei no post anterior e nestas últimas horas terminei de ler o livro. Agora vou partir para o novo do Gabriel García Marquez, Memória de minhas putas tristes. Adoro o Gabo e já senti que, apesar de o livro ainda estar no plástico, vou adorar este, apenas pelo parágrafo que está na contracapa: "No ano de meus noventa anos quis me dar de presente uma noite de amor louco com uma adolescente virgem. Lembrei de Rosa Cabarcas, a dona de uma casa clandestina que costumava avisar aos seus bons clientes quando tinha alguma novidade disponível. Nunca sucumbi a essa nem a nenhuma de suas muitas tentações obscenas, mas ela não acreditava na pureza de meus princípios. Também a moral é uma questão de tempo, dizia com um sorriso maligno, você vai ver."