terça-feira, 2 de novembro de 2004

- Julio, acorda porque o despertador está tocando.

- Mas são seis horas da manhã. Eu não tenho nada para fazer neste horário.

- Tem sim. Esqueceu? Você ainda é um funcionário da Caixa Econômica Federal.

Sim, meus caros, a moleza acabou. Após cinqüenta dias sem obrigações a cumprir, amanhã de manhã recomeça minha tormenta. Aqueles clientes super simpáticos e educados vão voltar a me abordar com seus problemas complicadíssimos. Mas o fato é que não posso reclamar, afinal é graças a isso que posso ter várias coisas, inclusive este computador que me permite manter este blog, além de cuidar da existência do meu cada vez mais perto do nascimento filho.

Se aproveitei as férias? Bem, depende de quais são as possíveis formas de se aproveitar um período como estye que passei. Viajar pode ser uma delas, fui até minha cidade natal, revi minha família toda, mostrei meu intra-uterino filho a eles, fui à praia aqui por perto. Li muitos livros, vi muitos filmes. Engordei, e isso não é bom; já estive em um médico que me mandou pegar leve, fazer exercícios (a esteira voltou a ser utilizada diariamente, ou quase), cuidar da alimentação (minha comida agora é sem gordura, grelhada). Para falar a verdade, acho que não posso reclamar de não ter aproveitado as férias, foi muito bacana.

E lá vou eu, novamente. Mais um ciclo se iniciará.