sábado, 1 de março de 2003

Um pouquinho de futebol

Hoje foi dia de Vasco x Flamengo. Um bom jogo, com os dois times buscando o ataque (especialmente o Vasco). Marcelinho está em grande forma e é ótimo ver alguém que siba o que fazer com a bola. Dá para sentir no momento em que ele domina a bola - pode comparar, olhe como o Jorginho (do Flamengo) domina a bola e veja o Marcelinho - e na forma como ele toca nela. É claro que nós, vascainos, não podemos depositar 100% de nossas esperanças nos pés deste instável jogador. Temos também o grande - e também instável - Pet (que vai atingir a forma física ideal no início de dezembro) e o contundido Marques.

Mas o meu objetivo ao falar deste jogo não era nem enaltecer as virtudes vascaínas nem cutucar os flamenguistas. Apenas dizer que é sempre um espetáculo lamentável o final deste jogo (o final de todos os jogos entre Flamengo e Vasco). A lateral de campo enche de gente (sejam flamenguistas ou vascaínos, dependendo de a quem o resultado interessa) e o jogo descamba para a violência. Todo o espírito esportivo cai por terra quando um flamenguista vê que vai perder para o Vasco ou vice-versa. O que se viu hoje foi o Jorginho, totalmente do nada, dar uma pancada em um jogador do Vasco e ser expulso. E quando o jogo termina é aquela incrível invasão de campo. Pessoas que nada têm a ver com o espetáculo. Gente que ninguém sabe de onde veio (devem ser parentes de altos funcioários, amigos dos parentes, amigos dos amigos dos parentes...), gente que deveria estar numa jaula.

O engraçado é que nunca vejo isso num Palmeiras x Corínthians, num São Paulo x Santos, num Gre-Nal. Mas no Rio pode tudo.

O futebol do Rio de Janeiro é totalmente inviável, e é um milagre que ainda esteja de pé e com alguns bons jogadores. E ninguém fala nada. pelo menos ninguém que tenha o poder de mudar algo se preocupa com isso. Especialmente o presidente da Federação, que por sinal é cria aqui da cidade de Campos e torcedor fanático (e esse fanatismo é sempre uma fonte de suspeitas) do Americano. O Campeonato do Rio é terrível.