segunda-feira, 10 de março de 2003

Ando tão à flor da pele
Que qualquer beijo de novela me faz chorar
Ando tão à flor da pele
Que teu olhar flor na janela me faz morrer
Ando tão à flor da pele
Que meu desejo se confunde com a vontade de não ser
Ando tão à flor da pele
Que a minha pele tem o fogo do juízo final
Um barco sem porto
Sem rumo sem vela
Cavalo sem sela
Um bicho solto, um menino, um bandido
Ás vezes me preservo
Noutras suicido


(Zeca Baleiro - À flor da pele)