domingo, 16 de fevereiro de 2003

Tenho que falar sobre isso: sim, eu casei. Duas vezes. A primeira foi em sentido figurado (aquela coisa de ir morar junto, e todos perguntarem "como está a sua esposa?"). A segunda foi literalmente. Casei-me com ela em frente a uma juíza e duas testemunhas. Mais ninguém. Nem os pais dela, nem os meus. Nenhum parente de nenhuma das partes. Apenas um casal de amigos.

E nós continuamos morando na casa de 150 reais mensais. A casa parece uma grande piada: ela não limpa nada direito, centenas de milhões de formigas passeiam pelas paredes, a máquina de lavar não limpa nada, apenas deixa as roupas um pouco cheirosas (méritos do sabão em pó), dividimos o terreno com mais duas casinhas de vizinhos chato e que só ouvem Raça Negra o dia inteiro (sempre as mesmas, pois parece que só têm uma fita).

Poderia reclamar da vida, dizer que aqui é um inferninho e coisa e tal, mas prefiro pensar que é apenas o primeiro passo. E até que é divertido.