quinta-feira, 6 de junho de 2002

E já que estou falando de coisas ruins, aí vai mais uma: o tal livro que eu estava lendo, "Post-mortem", depois de um ótimo início mostrou ser uma grande porcaria. A autora escreve muito bem, mas faltou cérebro na hora de achar uma boa solução final. Não vou comentar para não estragar a surpresa de quem vai ler, mas achei o final ridículo.

E falando em livros, comprei 4 em uma feira no Rio (em frente à Biblioteca Nacional): "O falcão maltês", de Dashiel Hammet; "O dia do chacal", de Frederick Forsyth; "Millôr no Pasquim", coletânea do Millôr Fernandes; e o meu livro favorito, "O amor nos tempos do cólera", o melhor do melhor escritor do mundo, Gabriel García Márquez.

Mas mesmo assim minha vida tá uma bosta.