sexta-feira, 3 de maio de 2002

Vislumbro uma chance de ser feliz. Um caminho estranho e desconhecido que de repente se abriu para mim. Eu vou sofrer prá caralho, tenho certeza, mas não estou nem aí. O mais foda é que vou demolir as expectativas que muita gente que amo nutria a meu respeito. Mas, foda-se, a vida é minha e quem tem que vivê-la sou eu.

O futuro é uma névoa fortíssima e eu não posso imaginar o que vai acontecer. Não quero aqueles que levam uma vida previsível - e boa - mas a verdade é que estou dando adeus às certezas, adeus a tudo. E que ninguém me julgue pois não sabem da minha dor e sofrimento.

Vai ser foda de ruim, vai ser foda de bom. Vai ser imprevisível. E já está começando.