terça-feira, 30 de abril de 2002

Foi publicada uma cartinha que escrevi para o Spam Zine nesta semana. O meu texto eles não publicaram, mas tudo bem porque ele é bem fraquinho, mas mesmo assim vou pô-lo aqui:

meu revólver tem silenciador

A porta não estava trancada. Este povo é descuidado. Entrei, procurei a dona da casa e quando a encontrei, tirei o revólver do bolso. Ela não gritou, pelo contrário, parecia já esperar por isso, só não achava que o momento chegaria tão rápido.

Dei dois tiros. Certeiros. No peito. Meu revólver tem silenciador, os vizinhos nunca ouvem nada. Antes de sair dei mais um na cabeça, só para garantir. Fui embora. Ninguém notou minha presença no prédio. Ninguém nunca nota. Apenas a sarjeta, mas não podem convocar a sarjeta para testemunhar.

Chegando em casa, fui logo dormir o sono dos justos. Não entendo como as outras pessoas são capazes de dormir sem matar alguém.

Comments

One response to “ ”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

Ricardo disse...

GOSTEI DE SEU ESTILO E DE COMO VOCE PODE TER ADAPTADO UM SILENCIADOR EM UM REVOLVER E TAMBEM GOSTARIA DE OBTER UM POIS ESTOU PRECISANDO URGENTE MENTE OBRIGADO.

12:34